sábado, 19 de dezembro de 2015

O céu é só uma promessa, eu tenho pressa vamos nessa direção!
Essa é a trilha sonora da madrugada. Póstuma..  faleceu em mim a melhor parte. A que ditava o ser ideal. A que me fazia ser eu! Mãe é intrusa, mãe faz patologias psíquicas, atravessa nosso mundo o tempo todo. Mas nos faz ficarmos em pé. Minha mãe se foi e arrastou o meu chão. Eu estou confusa, sem confiança. Nem palavras decoram meus pensamentos... Só o caos.
Repetidamente eu digo no escuro da minha mente a frase : "eu quero minha mãe " como uma criança querendo a luz na escuridã!!

domingo, 8 de novembro de 2015

Anestesiada
Demasiadamente atônita aos processos insalubres que me encontro.

Quer ópio melhor que a presença da morte? Ela dança na sua frente, apontando uma lança na sua cara. Ela é o buraco fétido da ferida do mundo, é a dor da carne no leito. Qual seria a lamentação de estar vivo em meio ao caos? Hipocrisia, afinal, corremos de medo da morte, amamos a vida, ainda que decrépita, ainda que para reclamar do falta do tão aclamado amor. Ainda que para se jogar de um prédio e lamentar, por ter paralisado parte do corpo. Como somos fracos! Como somos paradoxais! Não há relevância em nossas atitudes, não há coerência em nossas escolhas. 


DÚVIDAS?

Pois não? Um Jack Daniels com uma pedra de gelo e uma água com gás! Pra ela uma Bud! Obrigado! 
_Será mesmo que colhemos o que plantamos? Será mesmo que vivemos a vida de acordo com as nossas escolhas? Já paramos para pensar que ser feliz não é tão simples assim como dizem, como é tão simples dizer que é só ser feliz? Afinal o que é a felicidade? 
Compramos, alugamos ou nos enganam fingindo nos dar de presente? Importante? Onde? Os laços humanos estão cada vez mais comerciais, onde não doam mas se trocam sentimentos! Mê dê um pouco do seu sorriso e fique com um pouco da minha cara emburrada! 
Me dê um pouco de carinho, e passe mais tarde pra pegar um "cadim" da minha companhia! Me dá um pouco do seu coração e toma o... Opa, desculpe mas o meu já te emprestei lá na esquina da rua do Srº Mathias, aquele que é vizinho da Maria Inez prima da Joana que por sinal é muito sua amiga e você fez questão de não devolver! Lembra? Afinal o que é isso? Lembrança? Uai esqueceu? Lembrou? Então me fale sobre isso! Não quer né? Então me tira uma dúvida. E a confiança? 
O que é isso que ecoa tão bonito da boca dos que dizem ser seguros mas tão desafinado quando se entra nos ouvidos dos confusos? Confiamos mesmo, ou deixamos nos enganar com falsos contratos? Depende? O que é depender? Somos livres mesmo ou nossa cabeça é refém dos próprios pensamentos? 
Ahhhh pensamentos!!! O que são eles? Alimentam a alma mesmo ou perdemos o tempo enchendo o próprio ego com uma vida de ficção? Ei pera ai! Onde você vai? Como assim não tem mais tempo! Olha ai... E sobre o tempo não vai me dizer nada? 
Amor? O que é o amor? Eu acho que sei, mas tenho dúvida! Do meu? Não! Da falta dele! Da falta de paciência! Da falta de sensibilidade! Ainda tenho tantas dúvidas, mas espero você devolver meu coração para que eu possa colocá-las pra fora!


L. Effe!



domingo, 20 de abril de 2014

segunda-feira, 10 de março de 2014

O Homem dos ratos

http://videos.blog.br/um-caso-de-freud-o-homem-dos-ratos-documentario-completo/


No Congresso de Salzburg em 1908, Freud apresenta o caso clínico conhecido como ‘Homem dos Ratos’. Desde então, muito se falou sobre este caso clássico de neurose obsessiva. O filme nos mostra as sessões com o paciente e a técnica do trabalho analítico. As famosas descrições da neurose do paciente são encenadas e podemos ver, através das representações cênicas, as experiências emocionais de Ernest Lanzer.

Filme/Documentário baseado no caso clínico de Sigmund Freud de 1909 “Notas sobre um caso de Neurose Obsessiva”, conhecido como O Homem dos Ratos — Ernest Lanzer. A obra foi realizada pela BBC, para a série “Horizons”, que foi ao ar em 21/06/1973.

Direção e produção – Bruce Norman
Edição – David Elliot e Peter Goodchild
Dr. Freud – Bernard Archard
Patient/Ernest Lanzer/The Rat Man – Edward Fox
Gisela – Mary Ashton
Captain Novak – Michael Brennan
Girl with beautiful eyes – Charles Kinross
Governess – Ruth Madoc
Commentary (voice) – Richard Bebb

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Vazio

Esqueceu
Desistiu
Substituiu
Facilmente a atenção flutua, como se lê em uma avaliação de teste psicométrico.
Há um esforço débil em elaborar desculpas para o abandono.
E o discurso soberbo é disfarçado por um tom de voz humilde.
Farrapos cobrem o meu corpo nesses dias frios, retalhos não suportam o vento.
Meu estômago dói, e minha importância nem a mim importa.
Todo esforço é em vão,o labor é falho.
Sinto-me em ressaca moral,
embebedei-me de mim

domingo, 17 de novembro de 2013

Prostituta

Tinha consigo a certeza do seu amor, mesmo sem nunca ter sido dito!
Os seus olhos claros a cercavam pelos caminhos invisíveis, e sem saber aonde chegar, se embaraçava no labirinto de ideias a seu respeito.
Sumia conforme o desejo dele! Correu entre ruas sujas, estradas sombrias e perigosas, enfrentava os medos mais infames.
AFASTAVA-SE
Com as vestes cheias de lama encontrou refúgio em um lugar do inconsciente. Prostitutas encantadas preparavam sais de banho e limpavam-na do amor, esse que suja a alma, que marca a vida! Glamorosas em  seus atos, com sotaques oriundos de cantos desconhecidos do universo.
Trataram cada cicatriz que ali existia, como se apagassem de seus próprios contos, versos que lhe doíam.

Nascia Brilhante, amante de reis, cavalheiros medievais, poetas, músicos e sábios! 
Não deixou carta, nome, dívidas ou dúvidas! 
Ouvia o som rouco do rádio e encantava-se na terra do desamor!

https://skydrive.live.com/?id=4EDE51A3D5B3B69%21491&cid=04ede51a3d5b3b69&authkey=%21AMQuue2EA7ACstA&=
https://skydrive.live.com/?id=4EDE51A3D5B3B69%21491&cid=04ede51a3d5b3b69&authkey=%21AMQuue2EA7ACstA&=

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Fênix






E em um estalo, a depreciação da imagem que se tem, surge sobre escombros de materiais impróprios.
É uma nada atormentador, que causa um sentimento de dissociação
a companhia, não traz segurança

Não há olhar que referencia o caminho
Não há dor que se cure com o tempo
Não há labor que oferta a desatenção

São sentimentos censurados
Que ficam as margens, só esperando o momento de se manifestar
As marcas desse tempo são como o raízes num solo próspero

A alternativa é encontrar algo que se perdeu no caminho
O Eu
Aquele que se desfigurou
quebrou-se
Recolher os cacos e fazer dele um novo Souvenir
Apenas a lembrança desse momento torpe
DESFIGURADO


Shirley Souza


quinta-feira, 11 de julho de 2013

Fragmentos de mim!




Freud Além da Alma





Freud (Freud, além da alma, no Brasil) é um filme norte-americano de 1962 dirigido por John Huston, com trilha sonora de Jerry Goldsmith.
Biografia romanceada do pai da psicanálise, mostrando seus casos mais célebres e seu envolvimento com os pacientes.
A história da elaboração da teoria psicanalítica, que procura explicar nossa constituição psíquica. Reconstrói a vivência e as descobertas de seu criador, Sigmund Freud, em Paris e na cidade de Viena, entre os anos de 1885 e 1890.

domingo, 7 de julho de 2013

Naufrago!

Se sente atoa, lançada fora, empurrada...
encostada em via pública.
Em desuso.
O funeral de seus sonhos está sendo celebrado logo ali, na esquina das lembranças torpes.
O calor deu lugar para um corpo frio, sem sabor, nem cor.
O beijo do nariz, não veio.
Sua sombra é o espectro de uma palhaça...
Triste e sombria
Acalentada pelas palavras embalsamadas de desamor.
Rancores são as únicas possibilidades de existências entre os eleitos desse texto.
Torna a situação insustentável, para que as pessoas possam ir embora
Coloca leões dentro das jaulas, para que os amores possa sair, ir embora correndo dali.
De princesa, a trol, de trol, a tola, de tola, a palhaça. Sofreguidão! Amarguras!
Assim se faz brilhante, amante, desonrosa...
Sem mais nem menos. Repetindo os mesmos mecanismos! Narciso, Sícifo!




Páginas